terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Volta, Crato, estás perdoado!

Os portugueses têm um problema com a matemática. Este problema começa a notar-se logo que há uma operação básica pela frente.
Não há nada mais básico, na matemática, do que contar (por exemplo, votos num festival da canção) ou medir (por exemplo, o tempo de um prolongamento num jogo de futebol). Mas, muito recentemente, a televisão do governo e um árbitro mercenário mostraram que nunca deram atenção ao Counting Count, da Rua Sésamo. Ou apenas sabem contar o vil metal?


segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

Dear Sisters

"Dear Sisters:
The clock has run out on sexual assault, harassment and inequality in the workplace. It's time to do something about it". (*)
Entretanto, continuamos a participar nos prémios BAFTA, Oscar, Grammy, e mais o raio que os parta, com vestidinhos chiques e sexy, pretos de preferência, e a aceitar que haja prémios para "melhor ator" e "melhor atriz". Afinal, como dizia Marx, 
"those are our principles, and if you don't like them...well we have others". (**)

Those are my principles, and if you don't like them... well, I have others.
Read more at: https://www.brainyquote.com/quotes/groucho_marx_122547
Those are my principles, and if you don't like them... well, I have others.
Read more at: https://www.brainyquote.com/quotes/groucho_marx_122547
Those are my principles, and if you don't like them... well, I have others.
Read more at: https://www.brainyquote.com/quotes/groucho_marx_122547
 

(*) Queridas Irmãs: acabou o tempo da agressão sexual, do assédio e da desigualdade no local de trabalho. É hora de fazer alguma coisa!
(**) Estes são os nossos princípios, e se não gostam deles... bem, temos outros.


domingo, 18 de fevereiro de 2018

E, afinal, quando passa a semanário?

Não tenho grandes dúvidas de que a imprensa portuguesa é um espaço sórdido de comércio de influências, embora, por vezes, o baixo nível seja surpreendente. A capa de hoje do DN, por exemplo, mostra-nos a pose de estadista de Rui Rio, que daqui a umas horas deverá ser eleito para liderar um popular partido político. Ah! Não é Rui Rio, mas sim um comentador televisivo, uma futura reserva moral da nação? Mas ainda há dois ou três dias li o editorial do diretor Baldaia, a insurgir-se contra o tratamento que a imprensa estava a dar a Rui Rio, pretensamente por ele ser um provinciano do Porto e não um amaricado político da capital!
Depois, claro, perguntam-se porque este outrora respeitado Diário vai desaparecendo de cena...